SENAR-PR elabora Plano Pedagógico Institucional para nortear futuras ações

Cursos serão oferecidos dentro de uma lógica voltada para o mercado, de modo que os participantes sejam direcionados para uma formação mais completa

Nos últimos dois anos, o SENAR-PR iniciou um novo capítulo da sua história. Desde que foi criado, em 1993, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural vem atuando na organização, administração e execução da formação profissional e da promoção social do trabalhador rural no Paraná. O resultado deste trabalho está refletido nas mais de 3 milhões de pessoas que já passaram pelos seus cursos e formações. Um verdadeiro exército de homens e mulheres que ajudaram a construir um Estado campeão na produção agropecuária.

Durante seus primeiros 15 anos de atividade, o objetivo principal do SENAR-PR era ganhar capilaridade no interior do Estado, de modo a levar suas ações de formação profissional ao maior número de produtores e trabalhadores rurais em todas as regiões do Paraná. Esta etapa foi cumprida com sucesso e hoje o SENAR-PR é uma das mais reconhecidas instituições de ensino profissional no meio rural, responsável por oferecer uma ampla gama de cursos nas mais variadas áreas do agronegócio, cobrindo todos os municípios do Paraná.

Desde 2015 o SENAR-PR vem trabalhando na elaboração do seu Plano Pedagógico Institucional (PPI), um trabalho que irá balizar as atividades da entidade daqui pra a frente, com foco na qualidade e no resultado. “Vamos fazer menos pra fazer bem feito. O que a gente vê no mercado é uma fábrica de certificados, mas quem receber o certificado do SENAR vai ter que saber de verdade. Quem não souber não vai ser aprovado”, afirmou o presidente do Sistema FAEP/SENAR-PR, Ágide Meneguette na Reunião do Comitê Técnico Setorial do SENAR- -PR, que trouxe a Curitiba instrutores, supervisores e técnicos de todas as regiões do Estado para a validar a metodologia do PPI.

Em linhas gerais, a novidade agora é que os cursos serão oferecidos dentro de uma lógica voltada para o mercado, de modo que os participantes sejam direcionados para uma formação mais completa. Uma das referências utilizadas na construção do PPI foi a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), documento do Ministério do Trabalho e Emprego que reconhece, nomeia e descreve as características das ocupações do mercado de trabalho brasileiro. Com isso, o participante receberá um certificado profissional naquela ocupação que escolheu, após completar todas as etapas formativas.

A ideia central nesse processo é a construção dos Itinerários Formativos. Cada itinerário é composto por vários cursos em uma mesma área. Ao final do percurso, o aluno terá uma formação profissional completa. “O itinerário é o caminho que o aluno vai fazer para ter sua formação. Cada pedacinho vai compor o todo”, explica a pedagoga e consultora do SENAR-PR, Patricia Lupion.

Nesses itinerários não existe uma sequência obrigatória de cursos, apesar de existirem alguns poucos casos em que um curso é pré-requisito para o outro. O ponto central desta nova abordagem é a possibilidade de direcionar a formação dos profissionais rurais. Por exemplo, o itinerário formativo para formação de um profissional na área de bovinocultura será composto por cursos de Casqueamento, Arborização de Pastagens e Condução de Pasto, entre outros. A ideia é contemplar todos os temas necessários para que o aluno possa desempenhar aquela função produtiva.

“Com isso, além de ficarem mais claras as etapas que os alunos vão precisar percorrer para chegar onde desejam, também evitamos que eles façam cursos em áreas que estejam totalmente fora do seu foco profissional”, observa o gerente técnico do SENAR-PR, Eduardo Gomes de Oliveira. Segundo ele, o trabalho de elaboração do PPI passa pela construção de novos cursos e por ajustes nos cursos já oferecidos, de modo a adequar os itinerários profissionais às necessidades do mercado. Segundo Gomes, em 2018 algumas destas novidades já podem estar sendo ofertadas.

img_5927

IMG_5928

Deixe seu comentário:

Categoria: Notícias